4:17 am

Hoje conversando com um amigo sobre a minha faculdade decidi que preciso me dedicar mais… Isso eu já sabia faz tempo, mas acho que era uma idéia que teimava em não entrar na minha cabeça… Tenho muitos planos pra por em prática.. Se metade deles der certo eu já me considero uma pessoa muito feliz.. Eu sei que tenho capacidade, mas sempre me faltou força de vontade pra colocar todas as minhas idéias em prática.!

Preciso de um empurrãozinho.. Quero terminar esse ano tão bem quanto ele tá indo.!

Advertisements

Head over feet

Acho que eu deveria estar surpresa com as coisas que tem acontecido comigo, mas talvez a vida seja assim mesmo… Quando menos se espera, ela te surpreende.. Eu posso dizer com toda certeza do mundo que hoje me sinto muuito feliz, mas feliz mesmo, de nem caber em mim de tanta felicidade.. Eu devo essa alegria a alguém.. Alguém que eu não esperava nada, e muito menos nada em troca. Eu acho que tô tão boba que sequer tô conseguindo escrever alguma coisa realmente decente.. É como eu sempre disse, eu escrevo bem quando eu tô mal.. E muitas vezes escolhi ficar mal pra escrever bem, porque sempre gostei disso… Pela primeira vez eu tô abrindo mão de todos os meus textos por algo que me faz bem. que me torna melhor..

Hungry

Faz tempo que não escrevo.. Talvez porque as idéias tavam meio confusas na minha cabeça, e passar pra um lugar tão privado de visitas como a internet não ia ser a melhor opção. Definitivamente não.. Acordei e tô com fome. O almoço não tem hora pra chegar.. Enquanto isso eu fico nessa de atualizar a Lethicia sobre os assuntos, procurar coisas interessantes pra fazer… O coração tá doendo, mas eu já não sei se é da fome ou de outra coisa.. E esse post tá ficando emo demais pro meu gosto. A questão é.. Eu tô me sentindo num avião, com um para-quedas nas costas e uma única chance de pular.. Se eu pulo na hora errada, daí já era.. Se eu pular na hora certa, vou (provavelmente) ter uma das melhores experiências da minha vida. Eu tô praticamente no vou, não vou, vou, não vou, fechou fiquei.! Mas eu tenho meus motivos pra agir dessa maneira.. Tenho minhas frustrações passadas (que são várias eu acho) e ainda tenho o meu sexto sentido que teima em apitar toda vez que alguma coisa está pra acontecer… Podia ser assim quando eu tivesse na loteria tentando acertar os números da mega sena…

Eu tenho minhas responsabilidades (que são lá, praticamente zero) tenho uma vida (por mais que sedentária) pra “administrar”.. Eu preciso de alguém pra ajudar.. Acho que com esse tamanho todo ainda não aprendi a cuidar de mim sem uma ajudinha extra…

Tem tanta coisa que eu queria entender…

Bons shows, filmes, peças, livros…

Tô precisando achar coisas que realmente me façam ter algum interesse contínuo… Eu gostei dos últimos filmes que assisti e os livros que eu tô lendo tão me agradando bastante… Mas faz tempo que nada me prende taaanto e por tanto tempo como Saramago, Poe, Dostoiévski… A última vez que eu fui no teatro faz pelo menos um ano, e eu assisti a mesma peça que havia assitido em São Paulo… Não jogo xadrez há séculos, nem mesmo no computador… Não tô dando uma de nerd não, mas é que tá faltando um pouco de cultura pra mim…

Quanto a shows… Venderia meu rim pra ir num New Found Glory, ou no No Use de novo…

Acho que tô precisando sair com mais gente nerd… Sem ofensas amigos normais…

Agora eu fico aqui, sentada na varanda, olhando a Dara latir pra uma pipa vermelha que tá no céu há tanto tempo quanto ela tá latindo, e pra adivinhar que era pra isso que ela tava latindo foi difícil… Pensei que ela já tava doente latindo pro nada… Vai entender né… Esses dias ela latiu pra um avião…

Aliás… Faz pelo menos uns sete anos que não empino pipa, não ando de patins… Acho que a minha infância foi bem aproveitada, com desenhos saudáveis e jogos saudáveis… Mas sempre parece que falta alguma coisa…

Gostaria de saber pq….

Second chance..

Hoje eu tava assistindo um episódio beem velho de Miami Ink com a Juju e uma tal banda H2O foi lá pra fazer tatuagens e tal, e o nome do cd novo dos caras e da tattoo que o cara ia fazer era One Life, One Chance. Daí eu parei pra pensar… Será que a gente só tem direito a uma chance nessa vida atual de fazer a coisa certa?? Eu digo vida atual porque eu até acredito em vidas passadas e futuras, porque, o carma que eu carrego nessa vida, sem dúvida alguma é de outras vidas, impossíve, acontecer tanta coisa comigo só porque, sei lá, eu cortei rabo de lagartixa.. Não tô dizendo que a minha vida é miserável, que eu vou matar todo mundo e depois me matar. Acho a minha vida boa, legal, mas é que parece que sempre falta algo. Aquele ponto, aquela situação, que vai fazer tudo mudar pra melhor… Eu sei que isso só depende de mim, mas eu acredito também que se eu forçar para que aconteça uma situação que não deve acontecer, pelo menos não agora, ela não vai acontecer… Ultimamente tenho lido bons livros e assistido bons filmes.. E eles me fizeram abrir mais minha visão pras coisas que acontecem… Eu acredito nas coincidências, mas não como coincidência da forma que a gente usa a palavra. Coincidência no fato de, acontecerem coisas que deveriam acontecer, mas elas surgem de uma forma tão sutil e tão subliminar, que, muitas vezes não as percebemos e perdemos um valioso tempo sem elas… Coisas que existem para facilitar a nossa vida e convivência com outros seres na Terra…

 

Eu continuo acreditando nas minhas teorias malucas, nas minhas idéias doidas… Eu adoraria colocá-las em prática, mas ainda falta alguma coisa… Alguma coincidência, força de vontade, acontecimento, pra me fazer tirar minha bunda da cama, o note do colo, dobrar o pijama no sofá e correr atrás do que eu realmente quero.

Into the wild

Eu tenho gostos particulares pra alguém da minha idade. Bom, pelo menos pros alguéns da minha idade que eu conheço.

Gosto de livros, eles não gostam. Gosto de certos filmes que eles também não.

Semana passada conheci alguém que me adicionou no orkut, e descobri que essa pessoa tem os gostos parecidos com os meus. Pois é, parecidos, porque, primeiro – é difícil de verdade achar alguém muuuito parecido com a gente. segundo – é mais difícil ainda achar alguém com o MESMO gosto que o meu.

Enfim, entre livros e filmes, vi o título Into the Wild. Geralmente colocamos em primeiro lugar a banda, música, filme ou livro que mais gostamos.. Pelo menos esse é meu caso quando não teimo em arrumar tudo em ordem alfabética, (coisa de toc e tdah, sei lá) resolvi procurar a respeito na minha querida companheira de férias e sempre sempre, internet, e pra variar, com a ajuda do google, achei o filme pra assistir online.

O mais interessante é que me deparei com um filme incrível, sem produções hollywoodianas. Apenas um filme retratando uma história que realmente aconteceu. Outro dia escrevo a respeito do assunto do filme. Na verdade o que eu quero dizer, é que, assistindo o filme, em um certo momento o protagonista fala que, se precisamos de alguém pra nos sentirmos felizes, então não achamos o verdadeiro significado da felicidade..

Na verdade eu acho que é isso que ele fala, já que eu assisti o filme em inglês, sem legenda e a Dara, pra variar, atrapalhou com seus latidos insuportáveis…

Bom, sendo essa ou não a frase dita pelo cara, eu fiquei pensando que isso era verdade. Durante todo esse tempo eu acreditei que eu precisava de alguém pra ser feliz, e não vi que a felicidade está em mim, nas coisas que eu faço… Então, um conselho meu pra todos é esse…

Preste mais atenção em você, e não nas pessoas que te rodeiam..

Eu realmente acho importante o contato com outras pessoas, e admito que sou viciada em gente.. não consigo e nunca consegui viver sem, mas é aí que tá… Será que a gente precisa de um outro(a)?

Eu sei que eu não. E descobri isso após a última tentativa de relacionamento frustrado que eu tive…

Hoje eu sei que eu sou mais eu. (Frase patética que as pessoas usam pra se valorizar da forma errada, digo isso porque não me acho mais gostosa que a outra, mas sou mais eu do que duas pessoas, três, quatro. Acredito que eu seja uma boa companhia pra mim.!)

Everybody lies

Eu assisto House desde o primeiro episódio da primeira temporada. Tenho a primeira e a segunda temporada, assisti a terceira e agora acompanho a quarta, que já terminou pela internet, porque não tenho mais o canal que passa.. Em quatro temporadas, a única coisa que o “House” sempre deixou claro que pensava sobre a humanidade é que todo mundo mente..

Assim como o House, eu sempre achei isso.. Eu acho que as pessoas tem seus motivos pra mentir.. Pra esconder alguma coisa, ou pra mostrar alguma coisa, parecer interessante, ou sei lá porque.. E sabendo disso eu sempre evitei mentir… Não posso dizer que nunca menti.. Já menti sim, pra mãe, pra pai, pra irmã, ou até mesmo pra amigos, mas nenhuma mentira que fosse considerada terrível.. No máximo era, não saí, não bebi, não tenho como te ligar e por aí vai..

De uns tempos pra cá, fui acusada de mentir e ser manipuladora em dois casos diferentes, que não vem ao caso, pelo menos não aqui e não pra quem não está envolvido na história.. Algumas pessoas deixaram de falar comigo, outras sequer se preocuparam em saber o real motivo e por aí vai.. O tempo passou pra primeira história… Exatamente três meses… E a verdade veio a tona… Hoje, os envolvidos sabem que eu não fiz nada.. E que quem se fazia de verdadeiro, acabou mostrando quem era realmente..

Na segunda história, tentaram colocar a culpa em mim, sobre um assunto que eu não tinha nada a ver.. Não deu certo também..

Eu não acredito que eu seja mais protegida por seres celestiais do que as outras pessoas, mas eu acho que a verdade sempre vem a tona.. E as coisas acontecem por um motivo sim.

Eu tô lendo um livro que mostra bem isso… Tudo acontece por um motivo.. Não existem coincidências.. Acontece porque tem que acontecer. E depois dessa semana maluca que eu tive, hoje eu vejo que posso me descontrolar por essas coisas por alguns minutos, achar que a minha vida vai acabar e tudo mais.. Mas depois de passado tudo isso, tenho que por minhas idéias em ordem, e perceber que era pra ser assim, ou não era pra ser..

Eu agradeço pela vida que eu tenho e pelas oportunidades que me são dadas.. Lógico que eu quero mais.. Quem não quer? Mas eu sei que minha hora vai chegar. E quando chegar, eu vou estar preparada, não só fisica mas como psicologicamente.!

=D