Receita de corações queimados.

Metade de mim é decepção. A outra metade é vazia. Nessa outra metade adicione dor, raiva, uma pitada de um desespero maluco e muito, muito do que já vivi antes. Jogue tudo num processador. Processe.

Tempere com desejos não realizados, com expectativas estraçalhadas (que não deveriam existir nessa época do ano. Não é tempo de colher expectativa), aquela catarse que dá o toque especial. É o que se sente primeiro ao experimentar.

A segunda parte é simples. Amasse, sove, machuque. Desconte sua raiva. Deixe descansar. Não dê sinal de vida, não procure saber se essa massa cresceu ou perdeu o ponto.

Corte como desejar. Pedacinhos, nacos que se encontram vez por outra e se juntam numa forma pequena, que diminui cada vez mais.

A parte importante. Leve para o fogo e queime. O importante é não deixar um pedaço intacto.

Se quiser decorar por cima, com enfeites estúpidos e outros doces sortidos, fica a seu critério.

Tempo de preparo: Pouco mais de um mês.

Rendimento: Um coração despedaçado.

Observação: Cada vez que preparam essa receita, uma parte dos ingredientes originais se perde. Ingredientes esses raros de se encontrar. Essa receita deveria ser consumida com moderação.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s